CBH-Santa Maria do Doce recebe equipamentos para nova sede


24 fev/2015

IMG_2989

O CBH-Santa Maria do Doce já conta com equipamentos (impressora, máquina fotográfica, GPS, computador e pen drives) disponibilizados pela Agência Estadual de Recursos Hídricos (AGERH) – por intermédio do IBIO-AGB Doce –, para a instalação de uma sede física do comitê, que passará a funcionar no prédio do Consórcio Intermunicipal de Saneamento Básico do Espírito Santo (Cisabes), em Colatina. A entrega foi feita durante a 13ª Reunião Ordinária do CBH, realizada em 4 de fevereiro e reuniu conselheiros e convidados no auditório do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município.

Na ocasião, os conselheiros aprovaram a programação do 10º aniversário do CBH, a ser comemorado em 25 de abril. A proposta é que um seminário seja realizado nos dias 23 e 24 de abril, com o objetivo central de divulgar sua história e as ações já levadas adiante e elaborar o planejamento estratégico do Comitê. O evento seria encerrado com uma visita técnica, a ser definida.

Irrigâmetro

O diretor técnico do IBIO-AGB Doce, Edson Azevedo, apresentou o relatório de atividades da agência relativo ao ano de 2014. O Programa de Incentivo ao Uso Racional de Água na Agricultura (P22) foi outro destaque do encontro.

Márcio Mota, representante da Fundação Arthur Bernardes (Funarbe) – empresa contratada para a execução do programa – e o coordenador do projeto e analista do IBIO-AGB Doce, Eduardo Costa, detalharam o andamento do P22 na Bacia do Rio Santa Maria do Doce. O programa, que irá contemplar cerca de 40 produtores rurais – em todas as seis bacias serão 240 –, tem como objetivo orientar a irrigação através da implantação de um equipamento que indica quanto e quando irrigar: o irrigâmetro.

Funciona assim: os participantes são indicados pelo Comitê, tendo como critérios de seleção o tipo de cultura, a localização geográfica e a zona de conflitos. Após serem selecionadas, as propriedades são visitadas por técnicos que analisam o tipo de solo, o sistema de irrigação, o produto cultivado e a temperatura local. A partir das informações coletadas, o aparelho, que custa em média R$ 2.300 e é fornecido gratuitamente pelo programa, é customizado.

Na Bacia Hidrográfica do Rio Santa Maria do Doce, 24 equipamentos já foram instalados: cinco no município de Santa Teresa, quatro em Itaguaçu, nove em Colatina e seis em São Roque do Canaã. A expectativa é que o restante entre em funcionamento nos próximos dias. Após a apresentação, uma comissão, composta por César Santos Carvalho, Vagner Nandorf, Pedro Murilo e Aliamar Comério, foi criada para acompanhar a implantação do programa.

O coordenador de projetos do IBIO Institucional, Thiago Belote, fez um breve relato sobre o Programa de Recomposição de APPs e Nascentes (P52). Ele deu detalhes sobre o processo de contratação da empresa que ficará responsável pela elaboração do Cadastro Ambiental Rural (CAR) das propriedades e destacou a necessidade de construir estratégias para a mobilização social.

Ainda durante o encontro, por solicitação do conselheiro Hugo Holdi, os membros do Comitê ficaram encarregados de elaborar um documento a ser encaminhado à AGERH para que seja definida a responsabilidade pelo gerenciamento da barragem do Córrego Seco.

A próxima reunião será realizada em São Roque do Canaã no dia 1º de abril.


Nenhum Comentário »

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS dos comentários deste post TrackBack URL

Deixe um comentário