Palestras e visitas técnicas são destaque no segundo dia do IV Encontro de Integração da Bacia do Rio Doce


13 ago/2015

Membros dos Comitês que compõem a Bacia do Rio Doce e convidados acompanharam o segundo dia do IV Encontro de Integração da Bacia do Rio Doce, realizado no dia 12 de agosto, em Afonso Cláudio. A programação do evento contou com palestras e visitas técnicas. O diretor presidente da Agência Estadual de Recursos Hídricos (AGERH), Paulo Paim, falou sobre o fortalecimento de Comitês. O coordenador do Avistar Brasil, Guto Carvalho, falou sobre a observação de aves. No período da tarde, os participantes acompanharam a visita técnica, que foi realizada na Fábrica Lekker e na nascente do Rio Guandu.

Fortalecimento de Comitês

Paulo Paim abriu o encontro com informações sobre os processos de planejamento de recursos hídricos em bacias hidrográficas e a metodologia de enquadramento de corpos d’água. Também falou sobre a construção de um plano de bacia, que tem como objetivo a água. Destacou como desafios na gestão de recursos hídricos o reconhecimento no âmbito dos governos federal e estadual, reconhecimento público, inserção social e credibilidade. Para finalizar, falou sobre as estratégias de mobilização e participação social na gestão das águas e da implantação da cobrança pelo uso da água e agência na porção capixaba da Bacia do Rio Doce. Em seguida, os participantes puderam tirar dúvidas e esclarecer questões abordadas na palestra.

Observação de aves

O coordenador do Avistar Brasil, Guto Carvalho, deu prosseguimento ao encontro com a palestra sobre observação de aves. Guto ressaltou a importância da atividade, que teve início no Brasil há dez anos, e explicou a relação entre a observação de aves e a água. “Conhecer as aves da sua região te dá um indicador da qualidade ambiental da área”, disse.

Visitas técnicas

Finalizando o segundo dia do IV Encontro de Integração, foram realizadas visitas técnicas. A primeira parada foi na Fábrica Lekker, onde foi possível conhecer o sistema construído para reaproveitamento de águas pluviais. Os participantes do evento foram recebidos pelo engenheiro de alimentos, Álvaro Siqueira. Ele explicou que toda a água da chuva é coletada e utilizada na limpeza da unidade e dos sanitários. Em seguida, o recurso é tratado e reutilizado na fertirrigação de seringueiras.

Logo após, os participantes seguiram para a nascente do Rio Guandu, onde foram recebidos pelos proprietários e por representantes do IBIO Institucional e do Programa Reflorestar. Lá foi possível conhecer de perto o local onde se encontra a nascente, que antigamente era pisoteado por gado e agora é protegido pelas matas.

Confira aqui a galeria de fotos completa


Nenhum Comentário »

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS dos comentários deste post TrackBack URL

Deixe um comentário