Por mais conscientização


27 jan/2015

Reunião vai disseminar importância da economia de água para a sociedade

 Na última quinta-feira, 22 de janeiro, representantes do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Guandu (CBH-Guandu) se reuniram com representantes da Agência Estadual de Recursos Hídricos (AGER), IDAF, Incaper, Cesan, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Defesa Civil, IBIO-AGB Doce, Consórcio Rio Guandu, representantes da Promotoria e membros de Secretarias Municipais de Agricultura e Meio Ambiente, em Afonso Cláudio/ES, para colocar em pauta questões relativas à estiagem. O objetivo do encontro, promovido pelo Comitê, foi reunir informações sobre os reflexos e as consequências do período de seca e traçar estratégias de enfrentamento.

Após discussão entre os participantes, foi definido que uma nova reunião será agendada para a próxima quinta-feira, dia 29 de janeiro. Serão convidados usuários de água da bacia, presidentes de Associações de Produtores Rurais, Associações de Bairros e lideranças comunitárias para que haja uma divulgação ampla das informações referentes à estiagem. O intuito é dialogar sobre a importância da economia de água e do combate ao desperdício. O encontro será realizado no auditório do Sindicato Rural (Patronal) de Afonso Cláudio, que fica na rua Eliezer Lacerda Fafa, no bairro São Tarcísio.

Segundo a presidente do CBH-Guandu, Ana Paula Bissoli, a palavra de ordem é economia. “Esse período [de estiagem] é também reflexo das nossas ações e interferências no ambiente. É um momento crítico que precisa de um envolvimento de todos. Nós não pagamos pelo uso água e sim pelo seu tratamento e isso acaba levando alguns a utilizarem de forma indiscriminada. Precisamos adequar o uso, ter consciência e aplicar uma punição, em último caso“.

Comitê de Bacia Hidrográfica (CBH)

Os Comitês de Bacias Hidrográficas (CBHs) são formados por um grupo de pessoas que se reúnem para discutir um interesse comum, no caso, o uso da água em uma bacia específica. Com a participação dos poderes públicos, dos usuários e das organizações da sociedade civil, tem poder de Estado e atribuição legal de deliberar sobre a gestão da água, fazendo isso de forma compartilhada entre os três segmentos. Define as regras a serem seguidas com relação ao uso das águas, cabendo aos órgãos gestores de recursos hídricos colocá-las em prática por meio do seu poder de regulação. Através do recurso da cobrança pelo uso da água, os CBHs desenvolvem projetos como foco na melhoria da qualidade e quantidade de água na bacia. O Programa de Incentivo ao Uso Racional de Água na Agricultura (P22) e o Programa de Recomposição de APPs e Nascentes (P52) são alguns exemplos de projetos desenvolvidos pelo Comitê.

O CBH-Guandu

O Consórcio Intermunicipal para Recuperação Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Guandu foi o precursor das atividades de articulações para a criação do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Guandu (CBH-Guandu). Após mobilização nos municípios que integram a bacia, o CBH- Guandu foi criado em 13 de agosto de 2007, por Decreto Estadual, em consonância com a Lei Estadual de Recursos Hídricos Nº 5.818, de 31/12/1998. O Comitê é um órgão colegiado, de caráter consultivo e deliberativo. Integra o Sistema Integrado de Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Estado do Espírito Santo – SIGERH/ES e tem atuação no âmbito da Bacia Hidrográfica do Rio Guandu, localizada no Estado do Espírito Santo. Sua principal missão é articular os diversos atores sociais para garantir a oferta de água, em quantidade e qualidade, visando o desenvolvimento sustentável e a melhoria de vida na sub-bacia do Rio Guandu.


Nenhum Comentário »

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS dos comentários deste post TrackBack URL

Deixe um comentário